Panorama Equestre
agosto 12, 2011
Cinesioterapia
agosto 17, 2011
Ver Tudo

Transporte de Cavalos – Sem Stress!

Existem competições eqüestres, exposições e feiras agropecuárias pelo Brasil todo, sendo assim, é cada vez mais intenso o transporte de cavalos, que pode ser realizado pelos caminhões baús e por trailers de engate.

Conforme aumenta o mercado para o aluguel de veículos que transportam cavalos, maior é a diversidade dos caminhões e motoristas, sendo que entre eles se encontram os bons e os ruins.

Devemos estar sempre atentos às condições do caminhão ou trailer e também às referências sobre os motoristas, já que tudo isso vai refletir em uma boa viajem para nossos melhores amigos e bens mais preciosos!

Portanto: qual é a forma mais segura de se transportar um animal? Com que devemos nos preocupar? Fiscalização? Documentos necessários?

Encontre aqui todas as informações para uma boa viajem!

Checando as condições

Motorista de Caminhão: Conforme as leis nacionais de trânsito é necessário que tenha a habilitação categoria B e de preferência contrate um motorista conhecido ou indicado por uma pessoa do ramo.

Motorista de Trailer: Conforme as leis nacionais de trânsito, é necessário habilitação especial, por ter algumas diferenças, principalmente na hora de se fazer manobras.

Não basta que se tenha apenas uma carteira de motorista. É preciso que se tenha a carteira adequada.

Duração da viagem

Os cavalos podem ser grandes, porém são muito sensíveis e frágeis.

A viagem ideal deve durar até no máximo 15 horas consecutivas.

É aconselhável que a cada 5 horas se faça uma parada a fim de que o animal se movimente e beba água para evitar a desidratação e o aguamento!

(Sim, o stress pelo calor pode causar distúrbios como a laminite e até mesmo cólicas)

Dê preferências a lugares seguros e conhecidos para realizar paradas, como centros eqüestres, fazendas, haras,etc...

Caminhões

O estado de conservação do caminhão é de suma importância para garantir a segurança de nossos campeões.

As luzes, os pneus, freios e o piso têm que estar em perfeita ordem.

O veículo deverá ter 3 metros de altura, a fim de que se possa transportar os animais com conforto e segurança.
É interessante que se alugue um veículo que possua paredes acolchoadas para proteger o animal contra feridas, pancadas e arranhões
.

Cavalos

Coloque proteções nas patas do animal a ser transportado.

Caso não possua uma proteção de transporte use uma liga de descanso, não muito apertada (para evitar a falta de circulação). Existe no mercado lojas especializadas que vendem todo tipo de proteção para transporte, desde as patas até a orelha.

Só tome cuidado para não exagerar e deixar seu animal com calor. Isto poderá causar uma desidratação
.
Existem maneiras de evitar o stress calórico como manter o animal bem hidratado, utilizar repositores eletrolíticos e viajar nas horas mais frescas do dia!

Tome cuidado na organização dos animais dentro do caminhão, evitando colocar garanhões ao lado de éguas, cavalos bravos ou outros garanhões.

Deve-se também evitar o stress na hora de embarcar o cavalo, já que muitos tem medo ou não gostam de entrar no caminhão.

Se possível, realize treinamentos de embarque e desembarque rotineiramente, para que na hora de pegar a estrada os animais estejam acostumados e facilitem o trabalho!


Transporte de Cavalos dentro da Lei

Confira as dicas da Médica Veterinária Aline Segawa Tonetti, Fiscal de Defesa Agropecuária – ADAPAR (CRMV-PR 5811) sobre como devemos estar em dia com a documentação para transitar pelo estado do Paraná:

Todo proprietário de equídeos que deseja transitar com seus animais, deve ter conhecimento das normas de trânsito animal.

O Regulamento de trânsito animal tem como finalidade controlar, fiscalizar e monitorar o trânsito de animais, seus produtos, subprodutos e resíduos com o objetivo de mitigar ou eliminar a difusão de enfermidades no estado do Paraná.

No caso dos equídeos, as doenças controladas são a anemia infecciosa equina (AIE), o mormo e a influenza equina, que são exigidos de acordo com a finalidade e para onde se destinam.

O primeiro passo que todo proprietário de equídeos no Estado do Paraná deve tomar é realizar o cadastro de sua propriedade e de seus animais na ADAPAR.

Para isso, ele deve procurar o escritório que corresponde ao município de sua propriedade (http://www.adapar.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=375) e fazer a solicitação de cadastro de exploração pecuária, levando consigo os documentos pessoais (RG e CPF) e documentos da propriedade onde se encontram os animais, que podem ser CCIR, ITR, CAD PRO, matrícula do imóvel, ou, na ausência dos documentos anteriores, o comprovante de luz da propriedade.

O ideal é que todo produtor que tenha intenção de criar equídeos primeiramente faça o cadastro de sua propriedade e então adquira os animais de outra propriedade já cadastrada, sendo o trânsito dos animais realizado junto com a Guia de Trânsito Animal (GTA), que é o documento obrigatório para o trânsito de animais vivos (exceto cães e gatos) em todo o território nacional.

Cadastro realizado e agora quero transportar meus animais, o que eu preciso saber? Primeiramente, que a GTA independe de qual meio de transporte será utilizado. Se você for levar esse animal de carro, a pé, de avião, trem, navio ou qualquer outro meio de transporte, isso vai detalhado na própria GTA.

Segundo, quais são as exigências para o transporte?

No caso de trânsito somente dentro do Paraná, quando a finalidade do trânsito for trabalho, reprodução ou atendimento veterinário, o transportador precisará portar somente a GTA.

Se os animais estiverem indo para eventos agropecuários, provas ou competições, além da GTA, os animais devem apresentar-se em bom estado de saúde, sem sinais de doença e livres de parasitas externos e devem portar exame negativo de AIE, com prazo de validade que deve cobrir todo o evento ou trânsito e o atestado de vacinação contra influenza equina, com prazo de validade de 360 dias, que pode ser substituído pelo atestado do médico veterinário responsável técnico relatando que nos últimos 30 dias que antecederam a emissão do documento não houve ocorrência clínica da doença.

Cavalos que participam de competições, além de ter tudo citado acima, necessitam de um passaporte onde constam todas as informações sobre o animal e funciona como documento em todo território nacional.

Agora, se esses animais forem transportados para fora do estado do Paraná, as exigências mudam de acordo com o Estado a que se destinam, sendo recomendado sempre entrar em contato com a ADAPAR para verificar quais são as exigências, pois elas mudam constantemente de acordo com o status sanitário do Estado.

Nesses casos, atentar sempre para o exame de mormo, que é mais demorado para ser obtido o resultado, uma vez que no Paraná não temos ainda laboratórios credenciados para a realização desse exame e para alguns estados que exigem a vacinação contra Influenza Equina.

E o que acontece com quem não cumpre essas exigências e prefere levar os animais sem a GTA?

Se o transportador for pego em fiscalização pela ADAPAR sem portar a GTA e os outros documentos originais exigidos, ele será autuado, podendo receber multa no valor de 10 UPF/PR se tiver carregando menos de 10 animais ou de 1 UPF/PR por cabeça se tiver com mais de 10. O valor atual da UPF/PR é de R$ 94,80.

Além disso, é determinada a regularização ou o retorno à origem. No caso de equídeos com destino à eventos agropecuários, o médico veterinário responsável técnico pelo evento não deve permitir a entrada desses animais.

E tudo isso na tentativa de manter o Paraná com um status sanitário excelente em relação às doenças de controle oficial dos equídeos.

Parece complicado em um primeiro momento, mas manter o plantel saudável começa pela origem dos animais e com quem ele tem contato. E por isso é sempre importante emitir a GTA em todo o trânsito realizado. Só assim poderemos garantir a sanidade do plantel no Estado do Paraná!

Agora é lei:

O Conselho Nacional de Trânsito acaba de publicar a Resolução 675, que dispõe sobre o transporte de animais de produção ou interesse econômico, esporte, lazer e exposição.

Consideram-se animais de produção ou de interesse econômico: os mamíferos (bovinos e bubalinos, equídeos, suínos, ovinos, caprinos e coelhos) e aves de produção, que constam do Manual de Preenchimento para Emissão de Guia de Trânsito Animal elaborado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA);


Agora, o uso de pisos emborrachados passa a ser um requisito obrigatório por lei para transportar animais.

Recentemente o Diário Oficial da União publicou novas regras para o transporte de animais vivos. Essas regras levam em consideração os problemas de bem-estar animal frequentemente relacionados a condições do ambiente físico e social, como distância percorrida, tipo e condições dos veículos, condução do veículo, densidade e composição do grupo de animais. Por isso, após 1º de julho de 2019, todos os veículos de transporte de animais vivos fabricados devem atender a requisitos voltados para o bem-estar animal.

O não cumprimento das regras implicará em multa baseada na Lei 9605, 1998, de crimes ambientais.

As regras devem ser cumpridas pelo condutor, proprietário do veículo e dos animais, podendo ser responsabilizada por quaisquer desacordos com as leis ambientais, de sanidade agropecuária e de proteção animal.

fonte: revista Momento Equestre


Treinamento para o embarque!

Neste vídeo, Aluísio Martins, da Universidade do Cavalo, demonstra como é importante treinar desde cedo, ainda potro(a), para que o embarque torne-se uma coisa comum e conhecida do cavalo, iniciando com exercícios mais simples até chegar ao ponto de entrar sozinho, sem maiores problemas! Isso facilita a lida com o animal e evita problemas futuros.


Embarcando Cavalos - Paciência é o segredo!

Neste vídeo, Denise Bicca, adepta da doma racional, ensina a um cavalo adulto que nunca entrou em um trailler, que ele não precisa temer e pode observar e testar a segurança dessa novidade, para que não adquira nenhum trauma com relação a embarques e desembarques! Observem como ele dá sinais de curiosidade e receio, mas depois de alguns testes toma coragem e embarca por conta, sem muita pressão!


Cavalos no Avião?

Sim, todos os dias, pelo mundo afora, existem cavalos campeões viajando de avião para todo tipo de competição! Esses craques agem com tanta naturalidade ao transitar pelo aeroporto que parecem nem imaginar que vão cruzar os céus dentro de uma aeronave! Veja como acontece o embarque de cavalos em um avião com destino a Dubai, para o Dubaï World Cup!

8 Comentários

  1. Eustáquio disse:

    Site excelente. Vcs estão de parabéns! 🙂
    Eu tenho um cavalo tb. Mas infelizmente não tenho mais idade para correr. Atualmente faço carretinhas para transporte de cavalo. Caso alguém tenha interesse, ou algo a acrescentar aos projetos: reboque para cavalos 🙂
    Obrigado pelo texto!

  2. Ana aparecida disse:

    Meu cavalo nunca viajou e pretendo transportar ele para outra cidade a viagem é curta menos de 1 hora mas estou preucupada pois ele é muito bravo e onde moro não é fácil achar transporte de qualidade (sem contar que ele pode ficar estressado de mais com a viagem)

    • cavaloatleta cavaloatleta disse:

      Ana, como você viu na matéria, com um pouquinho de paciência eles acabam cedendo e perdem o medo da situação.
      E conversando com o pessoal envolvido com cavalos, nas casas de ração ou com o ferreiro por exemplo, você irá conseguir o contato de algum transporte! Boa sorte!

  3. Gustavo Santos disse:

    Tenho um baú porém não tem ventilação e preciso fazer o transporte de um cavalo num trajeto de 30km ,tem algum problema nisso????

    • cavaloatleta cavaloatleta disse:

      Gustavo, que bom estar preocupado com isso! 30 Km pode parecer pouco, mas em um caminhão não ventilado pode ser uma viagem desgastante.
      Deve-se ter em primeiro lugar a segurança, como os caminhões apropriados e carretas tem “boxes”, o cavalo vai mais seguro. Repense, e se não hover outra opção, viajar acompanhado, em contato com o motorista e realizar uma parada se necessário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *